02:07 a.m.

25 de dezembro de 2010
Um brinde aos meus bons amigos que estão de malas prontas, um brinde aos velhos amores que estão sendo velados sem lágrimas, um brinde ao que se perdeu por puro desleixo e um brinde também - e principalmente - ao que ganhei enquanto piscavam meus olhos. Para que - ou quem - brindar senão ao acaso? Não sei, será? Se não fui, se não foram ou se virão, verás, brindaremos também. Histórias e desafetos, risadas e vinho tinto, seja bem vindo, meu bem, ao Clube do Desapego. Senta, mas eu aviso: Não terás tu tempo para descansares, o novo sempre vem e derruba, deixa o velho para trás, ele não se importa se foi bom ou ruim: "O velho fica!", diz o novo em tom autoritário, no entanto, não diz onde deixar o velho, então você sempre faz como bem entende: Na memória? Talvez. Mas, pode e provavelmente irá atormentar-te, experimenta deixar o velho em seu lugar, numa caixinha enfeitada, com letras bem bonitas:  P A S S A D O.
O novo não chega se o velho não sair, só de birra, vai embora. "Não tenho mais tempo para assistir". Já viu esse filme tantas vezes, pobrezinho. Ele, por sua vez, também fica velho e entra pra história - esta que será contada em pouco tempo no Clube do Desapego. Um conselho? Cuide para que você não sinta um arrependimento ao contar essa história, você só tem essa chance de fazer diferente e deveria usar como se fosse a última, e se for? Você não vê. Talvez estivesse ocupado demais vestindo o terno das tradições, tomando o chá do bom conselho e comendo o biscoito da sorte.
Diga-me, para que lhe servem essas asas se seus pés não querem sair do chão? Poupe sua voz e seu corpo em encenar outra vez a mesma história, nesse palco o diretor nunca avisa qual é o ato final porque ele quer que você brilhe - igualmente - em todos os momentos e seja ovacionado. É preciso equilíbrio e paciência para encontrar o tom certo, para chamar a atenção da melhor forma. Você não é a única estrela, mas saiba ser único de alguma forma, cuide-se para que não te ofusquem e cuidado para não ofuscar, há de fato espaço para todo mundo, mas é preciso que você encontre (e ofereça, obviamente) o seu melhor. E é isso que farei questão de aplaudir.

2 Comentários, mas sempre cabe mais um. :):

Debbys disse...

ah pequenina menina, seus textos, sempre belos e tocantes.... deu tempo de sentir falta, mas vc foi mais rápida em postar dessa vez.. gostei!
eu te aplaudo, mt!xD
bjinhusss

Gabriela Castro disse...

Que texto bom de ler, Jô. Você realmente é amiga das palavras. Sabe ordená-las como ninguém.
Feliz 2011 =)
beijos