Carta ao homofóbico.

17 de maio de 2011
Querido homofóbico,

De mim você não merece nada além do que desprezo – o mais puro e sincero – no entanto hoje resolvi te escrever porque tenho pena de você, deve ser tão triste ser alguém tão pequeno, tão inútil e tão desvirtuoso que eu não sei como e nem por que você ainda sobrevive. Fobia é, segundo o meu queridíssimo Aurélio, medo mórbido. Vamos combinar que homossexuais existem em todos os lugares, como você ainda respira? Ultimamente você anda em completa evidência, é verdade, sempre me disseram que o ridículo também chama a atenção. Eu teria vergonha de ser quem você é, me desculpe se isso te ofende, mas não tenho nada de mais agradável para te dizer.
Será que você, caro homofóbico, se importa em dizer a mim como ainda tem coragem de sair todos os dias às ruas vestido dessa armadura de ignorância e munido desses argumentos que já não convencem mais? Nem ao menos sei por que digo ‘mais’, eles nunca me convenceram. Vai me dizer que Deus fez o homem para amar a mulher e vice-versa, não é? Querido, poupe sua saliva nojenta, esse seu veneno maldito! Se você se acha tão digno e expert na palavra dele, qual é o segundo mandamento? Justamente: Amar o próximo como a ti mesmo. Um homossexual pode não estar cumprindo a palavra, mas deixe de tanta prepotência e pseudo-superioridade e admita: você o faz da mesma forma, senão pior.
Guarde a sua falta de amor pra você. Poupe-me da sua deselegância, falta de educação e de consciência, além é claro da sua santa arrogância – ok, eu sei que ela é grande, que você tem de sobra, mas pode guardar só pra você. Se você é tão contra o casamento, a união estável, a felicidade entre pessoas do mesmo sexo, é tão simples, case-se com alguém do sexo oposto. Ou simplesmente não se case, o que em minha opinião é melhor, porque quem será que consegue aguentar você? Talvez você vá mesmo para o céu, só Deus com sua extrema bondade pode aceitar alguém como você, porque meu filho, até o capeta vai querer distância de pessoas ridículas assim, quando você chegar lá terá uma plaquinha na porta: ‘Boate gay: fechada pra balanço’ só pra te espantar, pra você sair correndo ou morrer (após a morte) de urticária.
Sei também que nada o que eu diga será bom o bastante para te livrar da sua escrotisse, talvez você esteja mesmo fadado a viver nesse mundo medíocre que você cria pra si próprio a cada dia que levanta. Talvez você seja tão inútil que mereça mesmo uma sociedade onde opção sexual seja mais importante que caráter, aliás, você sabe o que é isso? Imagine se por – apenas um dia – você passasse por àquilo que você e o seu preconceitozinho barato os submete diariamente, imagine se um dia você está numa festa com a pessoa que você ama e de repente, o simples ato de você beijá-la na boca fosse motivo pra você ser convidado a se retirar do recinto, quando não ser motivo de você ser espancado até a morte na próxima esquina. E se você acha isso completamente normal, quer saber o que eu penso sobre você? Você não merece ser chamado de ser humano, porque você não sabe o que é ser humano, você não é humano, você não é racional e você não tem coração. Falta-lhe não apenas amor próprio como todo e qualquer outra forma de amor, o que te torna um ser desumano e digno de pena. 




_

Tá rolando no twitter o #diacontrahomofobia, não vi hora mais propícia pro meu desabafo. 

5 Comentários, mas sempre cabe mais um. :):

Erica Ferro disse...

Ótimo texto. Forte, mas certeiro. Discriminação não pode ter vez na sociedade. Quer dizer, não deveria ter vez, mas não é o que vemos todos os dias. É só você querer andar na contra-mão da vida que as pessoas lhe apontam e lhe discriminam. Ah, preciso explicar o que eu quero dizer com "contra-mão da vida": é gostar de coisas que a maioria das pessoas sequer conhece; é usar roupas bregas na opinião dos estilistas mais conceituados e blá blá blá. No caso, ser homossexual não é andar na contra-mão da vida. Imagino que homossexualidade não seja OPÇÃO. Acho que nasce-se assim, se sentindo atraído e gostando de uma pessoa do mesmo sexo. Se eu estiver errada, um gay me corrija. E acho que se é algo natural, da própria essência, DEVEMOS respeitar.
A violência contra os gays, seja física ou psicológica, é algo horrível, revoltante, mas infelizmente constante na sociedade. Gays são assassinados. Gays são zombados em lugares públicos. Gays são espancados porque foram vistos em momentos românticos com seus namorados. POR QUÊ? Por causa de um preconceito antigo. Por causa da falta de vergonha dos membros da sociedade de parar e repensar o que eles chamam de valores. Ter repulsa pelo o que é natural, pela essência do outro, ainda que seja bem diferente da nossa própria essência, é inaceitável e TEM que acabar. As pessoas PRECISAM se respeitar.
As políticas contra a homofobia e qualquer tipo de discriminação são importantíssimas e devem ser ampliadas ainda mais. Preconceito e discriminação são coisas abomináveis e precisam URGENTEMENTE serem exterminadas.

Muito bom voltar aqui, Joyci.
Um abraço.

Ianara Fernanda disse...

Que maravilhoso esse texto. Tenho certeza que muitas pessoas deveriam ler isso para ampliarem mais seus pensamentos com relação a essa temática. Está de parabéns. ;*

Franfs. disse...

É muito bom ler um ponto de vista como o seu! Pessoas inteligentes... é disso que o mundo precisa ;)

Mano, lindo demais seu blog! *-*
O visual, os textos, tudooo!

Beijos
Saudades master gatona!

Juliana Biagi disse...

Ao ler seu post (tão bem escrito, diga-se de passagem) não consigo dissociá-lo de um famoso deputado que não se importa em esconder seus preconceitos. A última frase ridícula que ouvi de sua boca após terem legalaizado a união civil entre os gays foi: "agora só falta legalizarem a pedofilia". Simplesmente inaceitável o preconceito que certas pessoas insistem em manter. Individuos que não evoluem. Ficam estagnadas em uma era que não mais pertence ao presente. Poderiam nos abençoar ao menos ficando caladas...

Celle disse...

Essa atualização é polêmica... Eu concordo que preconceito (não só com homossexuais, mas qualquer tipo de preconceito) é burrice, coisa de pessoas com a mente muito pequena. Mas olha, eu lembrei da história da ervilha (ervilha? Era algo verde), que uma pessoinha falou para você... Só por que você não gosta de ervilha, você será preconceituosa? As pessoas não podem expressar suas opiniões que serão ‘tachadas’ como homofóbicas? Hm? Enfim. Eu sou contra o preconceito, mas sou a favor do respeito.