A delícia e a dor de ser sozinha.

5 de julho de 2009
É delicioso estar sozinho na primeira noite, você sai... Enche a cara, volta sozinha no carro sem ninguém pra te encher o saco ouvindo aquela música de solteirice aguda no volume mais alto e cantando ela, como se a solteirice fosse a melhor coisa do mundo.
No outro dia, você amanhece com o gosto amargo na boca e o despertador tocando, sua cabeça está explodindo e não, ninguém vai lhe trazer um café quentinho. Você tira a venda dos olhos e o sol passa a te incomodar, incomodaria também se ele estivesse ao seu lado, mas o despertador não estaria tocando, os raios de sol teriam o acordado primeiro, já que você sempre dorme com aquela venda perfumada de lavanda. E você teria um abraço aconchegante de bom dia, aquele do encaixe perfeito que você sonhou tantas vezes na sua adolescência. Você se levantaria, correria para a suíte e lavaria o rosto, pensaria duas vezes antes de pegar a escova no armarinho, afinal você sempre demora pra saber qual a dele e qual a sua. Mas isso não vai acontecer, já que só a sua estará ali.
Então depois de uma ducha quente você caminhará até a sala e não vai se deparar com ele sorrindo sinicamente enquanto lê o caderno de esportes do jornal que vocês assinam porque o seu time perdeu ontem. Você se arrumará muito bem para fingir que nada mudou, mas lá pelas 10hs no seu trabalho ele não te convidará pra almoçar naquele restaurante bacana que vocês adoram. E você se lembrará do perfume dele. Você vai almoçar no centro com as suas amigas para disfarçar a solidão, naquele restaurante com comida balanceada, afinal você não pode engordar ou elas acharão que você está deprimida porque seu relacionamento acabou. Só então você se recordará o quanto chocolate engorda.
Depois do almoço seu chefe vai pedir para você fazer hora extra e você aceitará, já que não tem bons motivos para chegar em casa mais cedo e certamente você chegará a tempo de ver a novela mexicana. Ao fim do expediente ele não terá te ligado para saber os motivos de tamanha demora e quando pegar o carro com o “Jão” do estacionamento da empresa, você não ficará brava com ele se ele te cantar. Afinal, você não usa mais aliança e seu ego precisa e merece ser enaltecido.
A caminho de casa a música de vocês tocará na rádio e você buzinará pra não chorar. E quando o sinal ficar vermelho, você não terá nada além do freio de mão para descansar a sua. Não, a coxa dele, macia e aconchegante não ficou de brinde. Quando chegar na garagem do seu prédio a vaga que costumava estar ocupada pelo carro dele estará com uma placa de aluga-se que você mesma pediu para que colocassem, depois de uns dias estará ocupado por um carro que não o dele.
Nos primeiros dias você optará por subir as escadas, caso alguém pergunte é porque não tens mais tempo para a academia que você nunca fez, mas você, só você e ele sabem que é porque quando o elevador começar a subir e você sentir aquele calafrio de medo que sente desde quando pequena não terá a mão dele para apertar.
Destrancará a porta da sala e a única luz acesa será a da secretária eletrônica, uma esperança. Que logo é perdida quando a voz ouvida é a da gerente do seu banco. Não terá comida congelada na geladeira, ele não comprou. Você vai pro quarto, assistir a novela mexicana que você ama e ele odeia, chora na parte que os mocinhos brigam e se coloca no lugar dela. E começa a devorar um livro sobre astrologia e ninguém pedirá para parar com essa bobagem, nem para apagar a luz. Então você decide tomar banho, a meia noite pra ver se alguém implica e nada!
Depois do banho sai descalça, porque o chinelo velho dele pro seu pé cansado não estava lá. Você milagrosamente sorri porque recebeu uma mensagem no celular e seu cérebro logo acusou: É dele! Mas, é a sua operadora constatando a nova promoção do dia dos namorados, droga. Você veste a última e única camisa velha que ficou no ninho pra sentir o cheiro dele e coloca sua venda, não sem antes colocar mais uma vez o celular para despertar. Cobre o corpo todo e a alma permanecerá fria, você rolará a noite toda na cama inteira sem esbarrar nele ou ao menos ouvi-lo pedir para que sossegue.
Estar sozinha é resumidamente não ter. Você não terá dor de cabeça e nem de quem sentir ciúmes. Você não vai ter quem te ligue durante a noite precisando ouvir sua voz. Não vai ter que se preocupar com ninguém, mas não terá quem se preocupe com você. Não vai ter quem vai puxar seu cobertor durante a noite, nem te cobrir quando você se descobrir feito criança. Não vai ter com quem falar como bebê sem parecer idiota, tampouco quem fará piadas de duplo sentido sem estar te desrespeitando, você não vai ter com quem dividir seus medos sem parecer uma criança boba. Não, não vai ter.



Ou você pode até ter... que sustentar que está tudo bem.

-

Está vendo como faz falta? (:
Gente do céu, ontem fui pra capital e foi tudo de bom! Que pastelão... ;) Quem sabe, sabe! :*

12 Comentários, mas sempre cabe mais um. :):

Just Smile disse...

Ain Jo, que triste!!! :'(
Eu ando em um momento mais ou menos assim, em que talvez no futuro, eu fique "sem ninguem". E esse texto foi de doer até o ultimo pedacinho da alma!
Mas mesmo assim, esse texto está MUITO bem escrito, você sempre arrasa, né gata? :b

Mas o que aconteceu ontem?? Quero saber *-*

Te amo demais ♥

_clumsy_ disse...

HAAA Q ISSO FILHA??
q dor de corna eh essa?
uhauhaua
eu gostei do comeco, sempre gosto de andar de carro com a musica alta e cantando junto \o\ eh tao legal hauuhahua

TE AMO MEU AMOR
qr coisa eu to aqui!!

'Ariane .( lla Belle )' disse...

você escreve muito bem, como sempre, tá lindo *-*

Parabens

P.S: Não é charme lá não, é serio tá dificil nem abrir a boca dá --', hoje só bebi agua --', ain ain, mesmo assim deixa para lá :P...


Beijos

Gabriela Castro disse...

é bem assim mesmo, principalmente quando se termina um namoro de muitos anos! Mas a gente acaba se acostumando...

beijão pequena

Vanessa disse...

Que lindo!
Como as coisas perdem o sentido quando não tem...
não tem mais aquela pessoa que dava todo sentido à nossa vida!
amei!!
como tudo que vc escreve...

:)

ao invés de falar disse...

ah é horrivel perder, quem você ama, eu sei como e isso :/, mais não quero saber outra vez.

legal aqui.

beijo moça. :)

Debbys disse...

Meo Deus!!! Que texto LINDO! Olha, esse ai mereceu o oscar viu menina! Que isso, sem comentários, perdi a voz... kakakaka.. ficou muito tudo de bom, apesar de triste... ohnn!!
bjsss

Danielle Cristina disse...

ameiii o texto, faz uma falta, parece até que ficamos sem chão, a vida volta a ser aquele preto e branco, mais as vezes o melhor que se tem a fazer é ficar sozinha e aprender a se amar mais !
já estou acompanhando também flor, boa semana!

Dany disse...

Se eu te disser que escrevi um coment gigaaaante e apagou tudo, vc acredita?!...

Foi exatamente o que acabou de acontecer, mas sou brasileeeeeeira e vou escrever tuuuudo de novo! /hum

Aaaaaamiga, que post MARA!

Eu nunca tive metade do que tá escrito ai, mas sinto falta disso...

Estar sozinha é triste e eu já cansei!
'Aloow, amor da minha vida, cadê você?!'

É tããão bom ter com quem se preocupar e saber que tem gente q tb se preocupa com vc, é bom ter alguem que ouça seus dramas e age como se isso fosse a coisa maaaaaais importante do mundo...

Atéé as coisas chatas que só os meninos sabem fzr faz falta né? *haha

Hoje tô o drama em pessoa. =p

Mas o que me consola é saber que o meu(nosso) Love está a caminho, como diz minha amiga 'se está demorando é pq Deus está caprichando!'.. rsrs

Amo vc!

Beijocas.

Thays disse...

Bebecita que post FODA! Depois que você se acostuma com algo, é complicado perder o hábito. E sim, faz uma enorme falta simplesmente não ter. Ah! Alegrias e mais alegrias... simplesmente se vão. Saudades de você! ;*

*Lusinha* disse...

Lindo texto, embora o motivo dele seja triste.
Realmente, o pior de terminar um relacionamento, mesmo quando não se desejava mais ele, é acostumar-se a essa nova rotina, onde não terá ele lá nas coisas do dia-a-dia que estávamos tão acostumados a dividir.
Bjitos!

Anônimo disse...

André Agui.

Ando assim!

blogdarua9.blogspot.com/