A Rosa quer dizer.

3 de novembro de 2009
Engoli todo aquele orgulho absurdo para então vir falar para ti, meu Pequeno Príncipe. Quando partistes para a Terra eu não fiquei muito feliz, ficar só nesse planeta tão pequenino quanto você e eu não me soou como uma boa ideia, aprendi o significado de uma palavra até então desconhecida por mim: Saudade. Saudade complica tudo, saudade faz um dia parecer um ano e um ano parecer um século, ainda mais quando as coisas por aqui se encontravam num vazio profundo e tudo a minha volta parecia preto e branco, saudade é tão ruim parece o bicho papão e eu acreditava a todo instante que ela estava prestes a me engolir. Cadê a redoma? Cadê o Pequeno Príncipe? Eu só conseguia sorrir quando as noites estreladas me diziam que eu poderia ficar tranqüila e que você estava bem, dava pra enxergar perfeitamente o brilho do teu riso nas estrelas, iluminavam a minha noite e assim eu descansava em paz. Saudade não deixa a gente em paz, parece que não sossega enquanto não rói todo coração e deixa ele em pedacinhos, bem pequeninos, do tipo que pra colar precisaria de uma cola muito boa... como é que é o nome? Amor. Dizem que é a melhor cura pra corações em pedaços. Com a sua estadia na Terra, deixei de lado meu jeito: “firo facilmente”. Não quero nunca ferir a ti, pequenino. Mas, o orgulho só engulo agora, pois não seria a tua rosa se eu não fosse como eu sou. Pensei que você pudesse nunca mais voltar, fiquei muito mal com a probabilidade de você encontrar milhares de outras rosas e quem sabe me trocar por alguma delas, afinais por fora somos todas iguais, com a diferença de que umas têm mais espinhos e outras menos. Mas, tu pequenino... me ensinaste uma coisa muito linda com o teu retorno, vieste com aquela história de raposa, cativar, invisível, responsável, única, vieste com uma outra visão do mundo, que fez tudo ficar diferente e melhor, quase morri do coração quando me contastes do jardim com milhares de outras rosas e o que tu dissestes a ela: Não se pode morrer por ti, não cativastes ninguém e ninguém vos cativou. Se pode morrer por mim, pequenino? Porque ao que você me explicou, cativamos um ao outro, necessitamos um do outro e somos responsáveis um pelo outro, gosto de ser responsável por ti, gosto de poder dizer que o que eu sinto por ti é amor e que sois único no mundo para mim, gosto de te ouvir contar as tuas aventuras na Terra e gosto de quando dizes em voz alta, como se todos os planetas pudessem ouvir: Foi o tempo que dediquei a minha rosa que a fez tão importante. Gosto da lição de que não se pode ver bem com os olhos, que o essencial está invisível diante dos olhos, gosto de quando me protege e cuida de mim, mas a lição que eu mais gosto eu tive que aprender sozinha, aprender na tua ausência que os verdadeiros amigos são o maior tesouro que a vida nos traz, aprendi que as verdadeiras amizades são eternas e isso só descobri quando voltastes, porque me contastes da tua constante preocupação comigo lá na Terra, gosto de pensar que ainda que meu coração se fira sempre terei você por perto pra curar, gosto de pensar que meu humor sórdido não te preocupa e que você gosta de mim da maneira que eu sou, gosto de pensar que nem uma galáxia inteira é capaz de destruir um sentimento tão puro quanto o nosso, sou grata por teres me perdoado por todas as minhas tolices e infantilidades e gosto muito quando me chama de: minha flor, meu bebê.

Da sua, tão somente sua... Rosa.




Depois de mais de 15 dias sem postar eis que surge a margarida, ou melhor... A Rosa, é... meu melhor amigo me chama assim e eu o chamo de Pequeno Príncipe, ou melhor dizendo: PP. E essa "carta" eu fiz baseada no livro, mas pensando o tempo todo nas histórias que a gente vive. Só Deus, ele e eu podemos entender o sentido total desse texto. Mas, eu precisava postar alguma coisa, né? Saudade de vocês, meus amores! Vou jantar e depois respondo-lhes!

Te amo Guilherme Gouvêa, meu PP/GG! Pra sempre, sempre, sempre, sempre e sempre. ;) Até perder o coração parar de bater. E o título tem a ver com a música da banda dele que é em minha homenagem, vocês ainda hão de ouvir: Hoje as rosas que me disseram que a vida continua, mas o tempo falou... ♫

11 Comentários, mas sempre cabe mais um. :):

Dany disse...

Minha Pequena, já comentei o que achei desse texto com vc no MSN!

Fui uma das primeiras a ler, que emoção!! haha
Privilégio para poucos...
Tão pensando o que, sou chique benhê!!

Texto digno de autor consagrado, e vê se pode, vc estava insegura...ai, ai!

Aah como tenho orgulho dessa Rosa. .

Te amo amigaaaaaa!

Beijos Mil.

Daniela disse...

Own, corações apaixonados são mesmo uma loucura.

"Amor é mais legal que love. Temina com esse erre triunfal. Os outros estados brasileiros que me desculpem, mas o amor com o sotaque deles não é tão intenso quanto o paulista ou gaúcho, que dizemor amorrrrr com a língua tremendo no céu da boca, que nem o coração apaixonado, a debater-se dentro do peito." HSUEHSEHSU

aiai :)

~*rafasonehara disse...

*-------*
que texto lindooooooooo!!!

Debbys disse...

Gente do céu, mas eu já tinha esquecido como seus textos atingem a gente ali, bem no fundo da alma... tava mesmo muito tempo sem postar hein! Não faça mais isso!! Ai, e como ficou lindo, viu.. esse seu amigo tem que ficar muito orgulhoso depois de ler esse post... heheheheh.. adorei de verdade!! ^^
bjuss

Just Smile disse...

Ain que saudades que eu tava dos seus textos, que sempre são lindos *-* Ow amor, eu sei que você me mandou o link há +/- duas horas atrás e eu só vim agora :$ Me desculpa, tá?? Dessa vez eu fiquei morrendo de inveja da Dany, que foi uma das primeiras a ler :@

"Amor é mais legal que love. Temina com esse erre triunfal. Os outros estados brasileiros que me desculpem, mas o amor com o sotaque deles não é tão intenso quanto o paulista ou gaúcho, que dizemor amorrrrr com a língua tremendo no céu da boca, que nem o coração apaixonado, a debater-se dentro do peito."

Tsi Tsi Tsi... Escreve um testo dizendo que o goSSSSSSSSSSStoso dos cariocas não tem igual, e que fazem qualquer um perder a linha ><' Fiquei com ciúmes disso, Jo, poxa :(

Lindo o texto, inveja total, viu? Do seu amigo Gui, do 'r' de vocês, de não ter sido incluida nos que entendem o sentido da 'carta', e etc... :'(

Mas te amo mesmo assim *-*

Mark disse...

Little J.

Danielle Cristina disse...

Ameii a adaptação da história, amoo seus textos, também escrevi sobre saudade! (:
beijo!

Guilherme Viana Gouvêa disse...

Nossa amor, ficou lindo! Em pensar que essa semana estava eu ali, pensando em ler o livro mais uma vez e hei de fazer isso! Agora além de procurar um entendimento maior de cada palavra expressa nesse livro, me divirto e me emociono lembrando de você e do quão você é importante pra mim. Me catisvaste agora o PP não é mais só um livro que admiro e gosto, além disso tudo é algo que me faz lembrar de você. Minha bexxxxxxxxt com todos os X do mundo! *-*

Nanda disse...

Eu sou mesmo uma doll pra lá de ruim, né? Eu sei que sou. Disse que vinha ontem e mais uma vez não tive como.
Enfim, já tinha opinado sobre parte do texto no MSN, né? E acho que sou suspeita pra falar. Você conseguiu tornar a história de O Pequeno Príncipe ainda mais real e verdadeira, doll. *-* Você tem essa capacidade, na verdade. As pessoas muito gente têm.

Te amo, rosa sob a redoma. (L)

Gabriela Castro disse...

Que linnnnndo Jô :D
Adorei cada palavrinha, cada frase...Adorei TUDO!
Tava sentindo a sua falta aqui já. Ainda bem que apareceu a margarida, ou melhor, a rosa!
Rsrs
beeeijo

Erica Ferro disse...

PEQUENA GRANDE ROSA,

Que texto mais lindo. Cara, eu viajei, me encantei, me emocionei, quase chorei lendo-o.

Você escreve lindamente, de um modo doce, que nos toca lá no profundo da alma.

Lindo, lindo!

Ah, o pequeno príncipe é lindo, hein? Grande, apesar de ser pequeno.
Adorei o livro!

Beijo, querida.